Manaus / Amazonas -

Translate

Arquivo do blog

terça-feira, 28 de maio de 2013


PEPINEIRO-DO-MATO, FRUTEIRA NATIVA DA AMAZÔNIA COM POTENCIAL ALIMENTAR E NUTRICIONAL, PORÉM POUCO CONHECIDA.
Afonso Rabelo-Engenheiro Florestal
rabeloafonso@gmail.com

NOMENCLATURA DA ESPÉCIE

Nome vulgar – Pepino-do-mato.
Família – Apocynaceae.
Origem – Amazônia.
Nome científico: Ambelania acida Aubl.
Histoire des plantes de la Guiane Françoise 1: 265-268, t. 104. 1775.
Sinonímias: Ambelania cucumerina Miers, Ambelania sagotii Müll. Arg., Ambelania tenuiflora Müll. Arg., Ambelania tenuiflora var. tenuiramea Müll. Arg., Willughbeia acida (Aubl.) Oken, Willughbeia acida (Aubl.) J.F. Gmel.

CARACTERÍSTICAS BOTÂNICAS DO PEPINO-DO-MATO
Ambelania acida Aubl.

ÁRVORE – O pepineiro-do-mato é uma fruteira silvestre, lactescente, porte médio, podendo alcançar até 10 metros de altura. O caule é cilíndrico, curto e fino e, com várias ramificações opostas, sendo as maiores na base e as menores na direção da copa da árvore. O ritidoma (casca) possui consistência dura com textura áspera e coloração castanho-acinzentada, todavia ao ser cortado, expeli um látex de coloração branca e abundante. É nativo da Amazônia, com predominância no sub-bosque das florestas preservadas de terra firme, sobretudo, em platô e vertente, no entanto pode ser encontrado em algumas capoeiras e florestas de campinaranas (Figura 1A).

 Figura 1 - Hábito de crescimento do pepineiro-do-mato em florestas abertas.

FOLHAS - São simples, coriáceas, inteiras, glabras e com disposições opostas nos ramos. A forma da folha é oblonga ou elíptica, ápice acuminado, base arredondada e margem lisa. A lâmina foliar possui coloração verde-escuro-brilhante na superfície superior e verde-clara e opaca na inferior, porém com nervuras proeminentes. (Figura 2).

 Figura 2 - Folhas com disposições opostas.
  
FLORES - São hermafroditas, pouco vistosas, sendo constituídas por corola tubulosa de coloração branca, 5 lobos torcidos no botão e 5 estames inseridos na metade superior do tubo (Figura 3).

 Figura 3 - Flor do pepineiro-do-mato.

FRUTOS - São bagas indeiscentes com forma oblonga-elipsoide, medindo de 10,7 a 13,1cm de comprimento por 4,30 a 5,1cm de diâmetro e pesando em média 148 gramas. O epicarpo (casca) é duro, sendo estriado longitudinalmente e com coloração amarelada quando maduro. O mesocarpo (polpa) com rendimento de ±80% do peso total do fruto, possui coloração branca, textura carnosa e consistência rígida, sendo comestível, embora seja leitoso e pegajoso. Assim sendo, para neutralizar o látex pegajoso é necessário acondicionar os frutos em refrigeração por aproximadamente 12 horas. O consumo é basicamente na forma in natura, no entanto pode ser usado na culinária caseira na preparação de cremes, doces, pudins e saladas (Figuras 4, 5 e 6).

 Figura 4 - Fruto no ramo do pepino-do-mato.

 Figura 5 - Frutos inteiros e descerrados do pepino-do-mato.

 Figura 6 - Frutos inteiros, doce, pudim e creme do pepino-do-mato.

SEMENTES - O interior dos frutos é constituído por dois locos longitudinais e estreitos, nos quais encerram-se várias sementes pequenas e secas. O tegumento é firme, opaco e com coloração marrom-escuro e o endosperma é rígido e branco (Figura 7).

 Figura 7 - Detalhe das sementes do pepino-do-mato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário